quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Na mesa do Bar


É nela que tudo acontece, é nela que os subentendidos são mais do que entendidos, embora pareçam estar disfarçados e escondidos embaixo de uma manta preta, mas é mais do que mentira! As conversas, as fofocas, os risos e sorrisos,os olhares - principalmente, ficam mais do que subentendidos, ficam evidentes. Tudo bem, a pessoa pode beber um pouco, ou até muito, mas o que ela demonstra,é o que o inconsciente dela quer, o desejo ali esperado. É engraçado, excitante o desejo. A troca de olhares proibidos, as piscadas, tudo daquele jeito mineirinho de ser disfarçado, escondidinho.
E no final, quando você volta para a casa, é incrível como a sua cabeça "volta pro lugar", digo, você querendo ou não acaba se arrependendo, se julgando, se analisando se foi certo ou errado tal coisa, embora tenha gostado. Fica preocupada se agiu de forma indefida perante os outros, mas na verdade você sabe que não agiu, só deixou fluir um pouco as coisas, de modo bem, mais bem comportado mesmo. Então, vê-se que o problema está na sua cabeça, nos seus pensamentos e não no que os outros viram. E depois, você volta com aquela sensação de vazio pra casa,como se tivesse deixado algo na mesa do bar, deixado uma parte de você, uma metade que você quer ser, é estranho essas coisas, a bebida uma hora te alegra e noutra, te deixa pra baixo quando acaba seus efeitos, deixando a escuridão e a sombra da maldade à mostra pra quem quer ver!

Na mesa de um simples Bar, tudo pode acontecer.

Um comentário:

  1. adorei o texto segue lá. que logo em seguida te sigo beijão!

    ResponderExcluir